Precisando vender à distância? Veja 3 dicas para adaptar seu time Comercial

postado em: Marketing Digital | 0

Equipe-de-Vendas Precisando vender à distância? Veja 3 dicas para adaptar seu time Comercial

O momento é de muitas mudanças na realidade dos times comerciais, então confira as dicas e um presente para quem vai começar a vender à distância

O seu planejamento comercial também foi afetado pelos últimos acontecimentos? Com a definição de quarentena no País, muitas empresas foram surpreendidas e precisaram aderir ao modelo de trabalho home office.

Para nós, aqui na RD, o trabalho em casa já faz parte da rotina de boa parte dos funcionários. Compartilhamos até um pouco da nossa experiência com a ferramenta #matrix para trabalho remoto e alguns conteúdos para ajudar neste momento de transição:

Quando o assunto é vendas, a situação é de incerteza e insegurança. Se o seu negócio depende de vendas presenciais, então, mais ainda. A migração para o modelo de vender por telefone pode ser um desafio a mais para vencer neste momento, mas nós podemos te ajudar!

Preparamos este post com algumas dicas para:

  • Guiá-lo na adaptação com as vendas à distância;
  • Garantir que o seu time Comercial consiga finalizar as negociações que já estão em curso;
  • E, quem sabe, conquistar novos clientes.

Confira!

vender-a-distância-720x4801-1 Precisando vender à distância? Veja 3 dicas para adaptar seu time Comercial

 

3 dicas para vender à distância

1. Redesenhe seu processo comercial

Se o seu time trabalha com field sales, ou seja, vendas com visitas presenciais, é muito importante adaptar o processo comercial à nova realidade. Isso inclui rever todas as etapas, desde o primeiro contato.

Determine como cada etapa do processo deve funcionar por telefone:

  • Quantas tentativas de contato serão feitas na prospecção?
  • Quanto tempo, em média, devem durar as etapas de avaliação da solução?
  • Qual o prazo de follow up entre ligações?
  • Quais métricas serão utilizadas para mensurar a performance (duração das ligações, quantidade de contatos por dia, etc.);
  • Quais ferramentas farão parte do processo e como utilizá-las.

2. Adapte o seu discurso de vendas

O pitch de vendas precisa ser adaptado para vender à distância. Quando estamos frente a frente com um potencial cliente, é muito mais fácil envolvê-lo na conversa, captar sua atenção e dar ênfase nos pontos importantes do nosso discurso.

Retirando a proximidade física, o desafio maior é não deixar que o ouvinte se distraia ou sinta que está perdendo tempo com a ligação. É necessário gerar valor e encantamento para que a negociação prossiga, mas sem se perder no pitch.

Treine seus vendedores para desenvolverem a escuta ativa: usem o pitch padrão, façam suas considerações, mas saibam extrair as informações necessárias – e, acima de tudo, ouçam as observações e queixas de quem está do outro lado da linha!

Tudo isso é essencial para formular os próximos passos do processo comercial, estruturar um escopo de atendimento e até para definir a proposta que será enviada. Preste atenção a tudo o que for dito pelo cliente, tome nota e faça registros no CRM.

3. Use a tecnologia a seu favor

Cada vez mais falamos sobre a proximidade virtual e maneiras de criar conexões com pessoas através das plataformas online, e para o contexto de vendas não é diferente. Ao vender à distância, é ainda mais importante gerar relacionamento e proximidade, ainda que via telefone.

O uso da tecnologia possibilita uma série de ações para facilitar sua vida neste quesito:

  • Fazer ligações de voz e videoconferências;
  • Enviar emails automatizados com alto nível de personalização;
  • Fazer anotações no CRM durante todos os contatos;
  • Acessar o histórico completo das oportunidades, com todas as interações registradas desde as etapas de Marketing e prospecção.

Com isso, as tarefas ganham tempo e agilidade, características essenciais em uma operação comercial com vendas à distância. Por isso, abandone planilhas, registros em papel e outros sistemas que não entreguem unidade e padronização ao seu processo!

A migração para um novo modelo de vendas é menos burocrática quando os vendedores têm as ferramentas certas para trabalhar. Isso evita o sentimento de perda de tempo, além da percepção negativa sobre os novos processos.

Todas as tecnologias escolhidas devem trabalhar bem em conjunto e servir para agilizar a vida do vendedor. Qualquer coisa diferente disso precisa ser eliminada

RD Station CRM libera minutos gratuitos do telefone virtual

Sabemos que este momento tem sido de muita mudança para as empresas brasileiras, mas entendemos que, mais do nunca, é preciso fortalecer os processos e aprender a lidar com as novas realidades.

Se você está começando a vender à distância, fique atento às próximas informações!

No ano passado, o RD Station CRM lançou uma funcionalidade de telefone virtual. Com ela, os usuários conseguem fazer ligações pelo CRM, dispensando a contratação de telefones corporativos e planos em operadoras de telefonia. Você adquire os créditos diretamente no CRM e a cobrança é feita por minuto de chamada.

18_-_telefone Precisando vender à distância? Veja 3 dicas para adaptar seu time Comercial

 

As ligações ficam gravadas na ferramenta, e podem ser acessadas por vendedores e gestores a qualquer momento – uma vantagem enorme para garantir um processo comercial bem afiado.

O telefone virtual do nosso CRM está disponível no plano Free e no plano Basic. Se você já tem uma conta no RD Station CRM em um desses planos e ainda não utiliza o telefone virtual para contatar suas oportunidades, aqui está um presente: minutos gratuitos para te ajudar a manter o relacionamento com seus clientes e concluir negociações!

A ideia de disponibilizar esse benefício é ajudá-lo a se adaptar melhor a este período de vendas à distância, especialmente se o seu time ainda não praticava esse modelo comercial antes.

São 150 minutos liberados para o plano gratuito do CRM e 300 minutos para os clientes pagantes do plano Basic. E não tem prazo de validade, ou seja: você pode utilizá-los até zerar o saldo sem preocupação!

Conte conosco para auxiliá-lo neste período de transição. Se você ainda não tem uma conta no RD Station CRM.

Aproveite esses minutos para estreitar laços com quem está no seu pipeline, ainda que o fechamento do contrato não aconteça por agora. Isso será fundamental para recuperar o ritmo quando a situação começar a se normalizar.

Fonte: https://bit.ly/2UFtlCa

Começando no e-commerce? Veja 8 dicas para vender mais!

postado em: Marketing Digital | 0

Nunca foi tão fácil no Brasil iniciar uma operação de e-commerce. O setor cresce a um ritmo de 20% ao ano há mais de uma década; plataformas com uma infinidade de recursos e preço acessível surgem a cada dia, assim como tecnologias de pagamento e segurança tornam mais fácil não só a vida do consumidor como também da loja.

Por outro lado, nunca foi tão difícil manter uma operação de e-commerce. A concorrência, assim como os custos de operação, logística e propaganda aumentam, enquanto os preços são pressionados para baixo.

Diante desse cenário é comum os gestores e empresários se concentrarem apenas na geração de tráfego da loja, o que hoje não garante mais vendas. Abaixo, selecionamos oito dicas relacionadas a credibilidade, serviço e conteúdo que influenciam diretamente a decisão de compra dos consumidores.

1. Credibilidade: De acordo com estudo da Mintel, dos consumidores com acesso à internet no Brasil, 67% não fizeram compras pela web nos últimos 12 meses. Desse total, 22% receiam que o produto não seja original, 22% que o produto não seja entregue e outros 25% por medo de passar os seus dados pessoais e bancários. Por isso, o primeiro ponto que você precisa investir na sua loja é na confiança. Assegure a confidencialidade das informações dos clientes, seja transparente em relação aos prazos de entrega, divulgue o endereço físico (mesmo que seja apenas do escritório), estabeleça uma política de trocas e devoluções e invista em sistemas de segurança que codificam os dados (site seguro). Deixe bastante claro para o cliente que ele pode ficar tranquilo ao navegar e comprar na sua loja.

2. Interação: Outro fator de credibilidade para o seu e-commerce é manter canais de atendimento para o consumidor. Telefone, e-mail, chat online e perfis nas redes sociais são importantes não só para esclarecer dúvidas como também para que o cliente se certifique que você existe de verdade. Redes sociais e newsletters servem também para que você mantenha contato para divulgar seus lançamentos e promoções.

3. Benefícios e diferenciais: Não espere que o cliente vasculhe sua loja para descobrir quais vantagens você oferece a ele. Reúna e destaque, ou melhor, escancare os seus atributos e diferenciais como frete grátis, opções de pagamento e parcelamento, compra segura, desconto no boleto, etc. em todo o site. Comece pela home page, mas não se restrinja apenas a ela. Use os recursos disponíveis em sua plataforma para destacar seus benefícios também na página de produtos e inclusive durante o processo de pagamento, de modo a reforçar o impulso de compra.

4. Promoção e marketing: Consumidores do e-commerce são ávidos por novidades. Eles querem encontrar algo novo toda vez que visitam a sua loja, assim como receber dicas e promoções por e-mail até diariamente, dependendo do segmento. Para eles nada é mais tedioso do que visitar uma loja e encontrá-la do mesmo jeito que na última visita. Portanto seja dinâmico, crie promoções e faça lançamentos com base em um calendário com as principais datas comemorativas e atualize periodicamente os banners. Use a criatividade e busque motivos tanto para atrair os clientes para a loja quanto para que retornem.

5. Layout e experiência do usuário: O layout da loja de e-commerce não deve apenas seguir fatores estéticos. A forma como o internauta navega pela sua loja ( experiência de uso, ou UX) exerce fator decisivo para a conversão. Estudos práticos demonstram que a simples alteração do tamanho ou até mesmo da cor do botão “comprar” pode aumentar o estímulo de compra. Não existe uma fórmula específica, você só vai descobrir como melhorar essa experiência de uso fazendo experiências, os famosos testes A/B. Teste cores, tamanhos, acesso aos produtos. Lembre-se que a experiência do usuário muda de acordo com o aparelho que está utilizando para acessar o site, por isso é importante testar a usabilidade do site não só em PCs, mas em celulares e tablets.

6. Meios de pagamento: facilite ao máximo a vida do cliente quando o assunto é pagar. Além de aceitar pagamentos em cartão de crédito, boleto bancário e portais como Pagseguro e Paypal, assegure-se de que o passo a passo até a conclusão do pedido também seja feito com fluidez, realizando testes A/B de experiência de uso. Facilite também o cadastro e cálculo de frete, quanto mais simples e prático for esse procedimento, maior é a chance de sucesso na conversão. Tanto que várias plataformas de e-commerce já oferecer o recurso “compra com 1 clique”, em que um cliente já cadastrado precisa confirmar apenas dados para completar a compra.

7. SEO: Segundo levantamento da Serasa Experian, o Google é responsável por mais de 50% do tráfego gerado para os sites no Brasil, o que mostra a importância de ter a sua site bem posicionada nas pesquisas. Há duas formas de se conseguir isso: por meio de campanhas de anúncios pagos a cada clique (PPC) e otimização para busca orgânica (SEO). A primeira pode colocar o site da empresa rapidamente bem posicionado, mas pode exigir orçamentos elevados dependendo das palavras-chave, segmento de atuação e concorrência. O segundo não depende de orçamento de propaganda direta para o Google como no caso do PPC, mas leva mais tempo para alcançar resultados. O ideal é trabalhar com ambos, de forma complementar. O PPC pode ser usado para alavancar o início das operações da empresa, promoções e ações pontuais, enquanto o SEO visa melhor posicionamento a médio prazo em palavras-chave com maior concorrência de preço.

8. Conteúdo: Não se limite com o material enviado pelos fornecedores, o que todos os seus concorrentes também fazem. Invista em descrições de produtos, fotos, vídeos criativos. Crie um blog associado à loja para dar dicas sobre tendências e uso dos produtos que comercializa. Quando os recursos das plataformas de e-commerce e os preços dos produtos se equiparam, produzir conteúdo de qualidade é uma das formas mais baratas de diferenciar sua loja.

Fonte: https://ecommercenews.com.br